Contato

Contato: cataphora2008@gmail.com

Só para professores!

Em nossa prática docente, nós professores sempre nos perguntamos de que maneira os alunos aprendem melhor e vivemos a fazer verificações pra saber se estão de fato aprendendo, porém qual de nós nunca se surpreendeu com algum aluno o qual não nos impressionou com a sua presença em sala, por ser calado e não participar muito ou por não desenvolver bem as atividades propstas, mas que ao fim parece ter sido o que de fato aprendeu alguma coisa. E isso, para nós, é imensamente gratificante, não? Aconteceu por esses dias comigo e me sinto honrada em ter conhecido essa aluna que me surpreendeu e que nos ensinou bastante com sua experiência e seu empenho, pois como se costuma dizer por ai: "o professor não é aquele que sempre ensina, mas que de repente aprende."
Escrevi isso apenas pra pensarmos sobre nossa prática como professores, pois recebi um e-mail essa semana falando sobre os maus professores, aqueles que fingem que ensinam enquanto seus alunos fingem que aprendem, e nesse e-mail atribui-se essa reprovável atitude ao baixo salário dos profissionais da educação, o que, pra mim, não justifica nem explica nada! Quem não gosta do que está fazendo, faz de qualquer jeito e é isso que não dá pra aceitar. Momentos como esses descritos acima são recompensas enormes e inesquecíveis a quem se chama "professor".

Um comentário:

  1. Realmente, o ensino no nosso país é cheio de problemas desde a não valorização da profissão ate a falta de interesse de alguns profissionais que poderiam facilitar esse processo de construção do conhecimento, enfim, nos cursos de graduação, e especifico o de Letras da UFPI, há pessoas desinteressadas e fazendo o curso apenas para possuir uma graduação, acho que o problema começa no ensino antes da graduação, pois quantos professores que já se formaram em letras apenas para possuir um diploma? Eu mesmo pensava assim(queria uma graduação e depois faria outro curso) antes de começar a pesquisar e conhecer esse universo do profissional de Letras, acredito que essa seja uma saída para pelo menos tentar encorajar os já desencorajados alunos que entram no curso de licenciatura só para obter o diploma de graduação. O incentivo a pesquisa foi muito importante para minha vida acadêmica e profissional, talvez se o curso desse mais ênfase a pesquisa os graduandos se interessariam pela profissão.

    ResponderExcluir