Contato

Contato: cataphora2008@gmail.com

A pauta agora é gêneros. Vamos analisar um texto juntos? Quem começa?

"PROCURA-SE UMA LASANHA DE FRANGO
A LASAINHA fugiu de casa na última noite por volta das 21:30, 22:00 horas!
Se alguém tiver visto ela passar, ou qualquer informação que ajude ela a achar o caminho de volta, por favor entrar em contato com o 'último quarto da casa'. Falar com Pedro ou Felipe!
Ela é muito dócil e atende pelo nome de 'jantar de ontem'.
Obrigado."



Pessoal,

esta imagem foi feita da porta do armário da cozinha da república de estudantes que morei ano passado (rsrs). Em termos de gêneros, a apartir deste texto, dá para fazermos muitas considerações e até chegarmos a reflexões teóricas interessantes. O texto está estruturado numa forma genérica, mas cumpre um outro propósito comunicativo, vocês concordam comigo? O autor utiliza de uma estratégia argumentativa, por sinal, mais do que criativa, para ironicamente atingir um objetivo, produzindo determinado efeito.
Vamos lá, vamos conversar a partir desta imagem e quem sabe chegarmos a boas conclusões a partir da soma de nossas opiniões!!

10 comentários:

  1. é... essa "brincadeira" que decorre da "mistura" de um genero textual com uma função comunicativa que nao é comum é muito bacana, pois alem de chamar atenção para o texto, faz o ouvinte/leitor "perceber" que o gênero foi "burlado", assim dependendo do publico o autor/enunciador terá "sucesso" na sua comunicação, como o publico alvo do contexto eram academicos de uma republica acredito que ele conseguiu alcançar seu objetivo... mas que objetivo? tenho duas hipoteses: 1º fazer graça com a situação que por ventura tenha ocorrido com essa lasanha; ou 2º querer que alguem da republica "patrocine" uma lasanha, rsrsr. Gostaria que a Lourdilene desse mais pistas sobre o contexto, rsrsr!!!

    ResponderExcluir
  2. Bom, o que exatamente há para se discutir? Trata-se de um exemplar do hibridismo genérico que, como foi dito no preambulo, atende aos propósitos de quem o produziu, chama a atenção do leitor, e esboça um efeito de ironia.

    ResponderExcluir
  3. Bom... há para se discutir de que forma o hibridismo genérico atende aos propósitos de quem o produziu, chama a atenção do leitor e esboça um efeito de ironia! É bem perceptível que isso foi feito, mas como? Por quê? Eu, por exemplo, acho que a referenciação é muito importante na construção de sentido desse texto (é até marcada em caixa alta), em que uma comida é referida no diminutivo (lasainha) e no final é "o jantar de ontem". Ela é personificada! E com carinho! Mas porque "o último quarto da casa" tem interesse nisso? Lourdilene não nos disse o contexto completo em que esse texto faz sentido, então, vamos às suposições e discussões sobre os objetivos de esse texto ter sido feito. Penso que talvez, como se trata de uma républica de estudantes, seja uma bronca em quem pegou a lasanha da galera do último quarto sem permissão. Se for assim, olha que forma massa, sutil e divertida de criticar e constranger! É o gênero em uso, né não?! A superfície da análise já aprendemos faz tempo nas gramáticas ( e não vem dando muito certo)... acho que mais interessante é mergulhar nos motivos dos processos genéricos!

    ResponderExcluir
  4. Acho interessante pra gente olhar para o aspecto da produção de um enunciado. Se se observa atentamente, o enunciador, para responder a uma situação específica de enunciação, recorre a seu saber enciclopédico e, a partir da identificação de recorrências, tenta dar uma resposta adequada. O formato do gênero é parecido com o de um cartaz (de "procura-se"), com imagem do objeto referenciado e um texto consiso sobre o propósito, justamente pela semelhança da situação retórica e das respostas convencionadas para este tipo de situação específica.

    ResponderExcluir
  5. Então, pessoal,
    Estou gostando da discussão, até então muito produtiva. Pois bem, um dos motivos pelos quais fiz essa postagem foi justamente, como bem disse Rodolfo, por o texto ser um exemplar do hibridismo genérico. Mas esse foi apenas o mais superficial, o mais evidente, tendo em vista que, já num primeiro momento, qualquer pessoa da área é capaz de perceber isto. Todavia, há muito para se discutir sim, como já afirmou Leila, acima. Sabemos (e Bruno sabe mais do que nós, rs) que com o desenvolvimento tecnológico da informação os gêneros se desenvolvem e cada vez mais se complexificam, porque, de certa forma, com esses avanços, a própria sociedade se complexifica e, consequentemente, as relações sociais e comunicativas; isto é fato, e Marcuschi já nos alertou há algum tempo.
    Porém, há algo mais para refletirmos. Comecemos considerando o fato de que, quando falamos em hibridismo ou em intergenericidade, normalmente exemplificamos (e a literatura linguística está repleta de trabalhos desta natureza) com ocorrências de gêneros promocionais; e, com certeza, o campo mais produtivo para que haja mescla ou mistura de gêneros esteja mesmo na publididade e na propaganda (sejam estas tomadas como sinônimas ou não). O que mais vemos com frequência, na esfera publicitária, são estruturas genéricas que se complementam ou uma estrutura genérica que cumpre um outro propósito comunicativo, não é verdade? A regularidade, portanto, está no fato de que, nestes gêneros, o propósito normalmente se repete: a promoção, a venda de determinado produto, serviço etc.
    No exemplo de nossa postagem, temos meio que um caminho inverso. Vejamos. A estrutura de um gênero promocional é tomada para outro propósito que não é exatamente de promoção, de venda. Na estrutura, temos um aviso de procura-se, neste caso, uma lasanha que "fugiu". Ora, nosso conhecimento de mundo nos permite afirmar que uma lasanha não tem condições de fugir, embora, no texto, ela seja figurativamente tomada como um ser animado que fugiu de casa. E o "cartaz", então, informa sobre isto? Não, o seu propósito é de, indiretamente, dizer que "pegaram minha lasanha e eu a quero de volta". Também, como já disse Leila, "dar uma bronca" em quem pegou... pois alguém certamente pegou, já que a própria lasanha não teria condições de sumir, de desaparecer por conta própria. O fato de ela ser tomada como ser animado é, portanto, uma estratégia argumentativa usada pelo autor para enfatizar o ocorrido: o fato de a lasanha ter sumido. Logo, alguém, certamente, praticou a ação de levá-la.
    Então, a estrutura é a de um gênero promocional, um aviso de procura-se (Digenário já nos falou sobre isso), mas sua função principal talvez seja mesmo a de denunciar um "roubo", ainda que o texto, de alguma forma, também promova, divulgue esta denúncia.
    Enfim, há muito ainda para ser trabalhado, para ser estudado quando falamos em gêneros. Em muitos casos, como no exemplo acima, a pergunta fica no ar: que gênero é este? Poderíamos passar o restante do mês especulando sobre isto e não chegaríamos a uma resposta, pelo menos que fosse satisfatória a todos.
    E eu também já escrevi demais... rs
    Então, é isso. Se alguém quiser complementar o que disse, bem como retificar alguma coisa, pode ficar a vontade, nosso espaço é democrático.

    ResponderExcluir
  6. Eita e é pq nem viram a minha apresentação sobre atos de fala e generos textuais... ow discussão sem fim... rsrsrs Terão a oportunidade de ver no Culturas Ibericas!!! rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Vejo uma forte relação do texto postado com a teoria de gêneros tal qual é defendida pela Nova Retórica (Bazerman,Bitzer, Devitt, Jamieson e Miller). Ao analisar os enunciado "Procura-se uma lasanha de frango","fugiu de casa na última noite por volta das 21:30, 22:00 horas!" e "Se alguém tiver visto ela passar", percebe-se uma semelhança com outros enunciados de outros textos já existentes e que possivelmente faz parte do conjunto de gêneros da pessoa responsável pelo enunciado.

    ResponderExcluir
  9. Bem, o exemplar é um caso curioso e raro. A rigor, não se trata de um gênero muito típico porque temos certa dificuldade em rotulá-lo como um gênero: um recado? uma piada? um aviso?. Provavelmente, não haverá consenso sobre a qual gênero pertence este texto. Isso talvez ocorra pelo fato de ele ocorrer numa situação muito particular, pouco conhecida e rara. E os gêneros funcionam mais plenamente em situações recorrentes, com claros papéis sociais definidos e funções comunicativa bem esperadas. Parece que não é o que ocorre nesta situação, o que inclusive possibilita muita liberdade de criação aos sujeitos que produziram o texto. Do ponto de vista retórico, não creio haver hibridismo. O hibridismo deve ser quanto a modelos gerais mas não quanto ao funcionamento. Uma saída conciliatório seria considerá-lo uma piada (ou texto de humor), a qual funciona comumente misturando modelos de gêneros para atingir os seus fins. Mas deixo para todos vocês a seguinte pergunta, a qual é fundamental para se definir um gênero: QUAL FOI O PROPÓSITO COMUNICATIVO DESTE TEXTO?????

    ResponderExcluir
  10. Bem, como bem já disse Leila e confirmou Lourdilene, creio que o propósito comunicativo deste texto é nenunciar o "roubo" de uma lasanha e, além disso, descbrir o(s) culpados: quando no texto o enunciador diz que se alguem tiver visto a lasanha passar ou alguma pista que a ajude a voltar pra casa, posto que se a lasanha passou é porque alguem a levou...Pensando assim poderíamos dizer que o genero aqui é uma denúncia, considerando-se que ao denunciarmos algo objetivamos, pra além de informar o caso,encontrar e punir os culpados!!!

    ResponderExcluir